Família organizada, família em segurança

Estamos à beira de mais um confinamento e sabe-se lá que mais virá pela frente. Alguma ansiedade paira no ar e milhões de dúvidas passam pela nossa cabeça. Há que tomar decisões ponderadas, mas rápidas para podermos atravessar com a tranquilidade possível o período que se aproxima.  Ficam aqui sugestões para o que podemos fazer já hoje, sem nos desgastarmos muito.

A organização nestas situações é a base da nossa estabilidade e segurança. Não adie. Tome as medidas necessárias para garantir que toda a família está em segurança e tranquila durante esta etapa.  E não decida que toda responsabilidade está reunida em si. Delegue algumas tarefas. Aqui ficam algumas sugestões:

  1. Comece por conferir tudo o que tem na arca congeladora, frigorífico e despensa. Não embarque em comprar sem rentabilizar o que já tem em casa. Aposto que há por aí alguns alimentos/produtos esquecidos há meses. Pense rapidamente numa forma prática dos produtos que já tem em casa serem transformados numa refeição. Anote alguma coisa que eventualmente esteja em falta para essa receita.
  2. Verifique se há contas para pagar, idas à rua ou outras deslocações que possa despachar de imediato. Tire essa preocupação dos seus ombros.
  3. Faça as compras necessárias do que está em falta e levante dinheiro para a eventual necessidade de ter de pagar alguma coisa com dinheiro.
  4. O tempo está extraordinariamente frio nesta altura. Se for preciso tomar alguma medida para garantir o aquecimento da casa, como encomendar lenha ou comprar gás, faça-o o quanto antes. Evite ficar desconfortável dentro de casa.
  5. Passe uns olhos pela agenda da família destas próximas semanas e veja se há algo que possa fazer falta, ser adiado, alterado ou transformado em contacto à distância. Faça os ajustes possíveis ou pelo menos agende tratar desses assuntos telefonicamente ou por email. Assim fica com a cabeça livre dessas preocupações e fica tranquila que não se esquecerá de nada.
  6. Não esqueça os mimos– Se tiver oportunidade, compre um milho para pipocas ou farinha para fazer um bolo para fazer com a família e se oferecerem um miminho em casa.  O custo é reduzido e dá sempre um aconchego.
  7. Se por acaso é o “suporte” de alguém que não vive consigo, terá de rever todas as etapas anteriores para essa pessoa também de modo a reduzir ao mínimo a circulação e contactos necessários.  Se puder deixe-lhe um miminho (uns biscoitos ou algo semelhante) e/ou comprometa-se a telefonar com frequência. Pior do que estar sozinho, é sentir-se dependente e desamparado. Os miminhos ajudam a preencher-nos de amor e a sentirmo-nos mais aconchegados.
  8.  Relaxe e transmita tranquilidade à sua família pois isso é meio caminho andado para um confinamento em segurança e sem stress. Quase tudo tem solução e estando bem preparados correm menos riscos de ter de andar a fazer saídas extras. 

Se há coisa que aprendemos com esta pandemia é que controlamos muito pouca coisa nas nossas vidas. Mas, mesmo assim, há muito que podemos fazer, quer por nós, quer pela nossa família, quer até pelo exemplo que podemos ser na sociedade. Sejamos essa força, esse exemplo e essa inspiração. O nosso contributo pode fazer muita diferença na forma como os outros à nossa volta encaram estes períodos conturbados.

Vamos passar estas semanas em segurança e com confiança de que estamos a contribuir para todos nós ficarmos bem.  Usufruam o tempo juntos, não como uma obrigação mas como uma oportunidade de diálogo, brincadeira, risota e tempos memoráveis juntos.

Fiquem bem e sejam felizes.

No Comments

Post A Comment