Cinco características de uma mãe extraordinária

Eu acredito que as mães são extraordinárias.

Começa já pelo facto de o começarem a ser mães, sem livro de instruções, antes mesmo dos filhos nascerem.

É claro que as partilhas e indicações de outras mães mais experientes ajudam (ou desajudam, mas com boa vontade) a dar um rumo naquilo que cada uma de nós entende ser a sua forma de ser mãe extraordinária.

Mas afinal quais são algumas das características de uma mãe extraordinária?

Humildemente vou-me deixar aqui apenas algumas características daquilo que vi em algumas mães que tenho conhecido, mas muitas mais características ficaram para abordar num artigo futuro.

  1.  Ser você própria – não querer fazer igual às outras mães só porque dizem que é melhor.  Há que acreditar naquilo que se está a fazer ou não fará muito sentido. Afinal, quem é mãe, sabe bem que quando estava grávida foi brindada por todo o género de conselhos (geralmente não pedidos). De repente todos se tinha tornado peritos em gravidez, bebés e maternidade, mesmo aquelas pessoas que ainda nem sequer tinham filhos.
  • Libertar-se da perfeição –  a melhor maneira de manter a energia e a sanidade mental e física é assumir que a vida muda quando temos filhos. Podemos fazer muitos malabarismos para tentar que seja igual, mas a verdade é que há muita coisa que não volta a ser igual. É assumir esse facto, ajustar-se e seguir em frente.  No outro dia li uma mãe a dizer que era arrumada há 3 filhos atrás. Agora faz o que melhor que pode com as condições que tem. E não há nenhum mal nisso. Posso garantir que os melhores momentos que os vossos filhos vão recordar da infância, não serão a casa arrumada e o cheiro a óleo de cedro.
  • Manter a identidade – ser mãe é maravilhoso, mas ser mulher também. Há que dedicar-se algum tempo a si própria, sem se perder totalmente a sua identidade: o que gosta de fazer, as saídas com as amigas, ler, ouvir música, dançar, ou o que seja. Sim, eu sei, o tempo não estica e as crianças requerem muita atenção. Mas uma mãe que não cuida das suas necessidades, não será uma mãe feliz. E quando a mãe não está bem, não consegue dar o melhor de si. Quando se cuida, está indiretamente a cuidar dos seus filhos e a ensiná-los o quanto é importante terem-se também como prioridade.
  • Não se martirize – é evidente que as mães têm de se adaptar e abrir mão de algumas coisas durante alguns anos. No entanto, não se sacrifique demasiado pois isso cria insatisfação em si e não fará nenhum bem aos seus filhos. Tal como referi na alínea anterior, você será o exemplo para os seus filhos e por isso veja se quer mesmo ensiná-los a se sacrificarem, mesmo quando isso é prejudicial para eles próprios. Acredite, os nossos filhos só nos querem ver bem, pois eles assim sentem-se seguros e ficam bem também.
  • Liberte-se da culpa – acho que é um dos sentimentos mais comuns das mães- sentirem-se culpadas por tudo e mais umas botas que aconteça aos seus filhos ou à sua família. Eu partilho do mesmo mal. Já perdi a conta às vezes e motivos pelos quais me senti responsável ou culpada. Mesmo quando eu não podia ter feito nada para evitar. Contudo, o sentimento de culpa não ajuda a nada. Antes pelo contrário, deixa-nos a remoer no problema e a deitar-nos abaixo. Há que aceitar que não somos perfeitas, que nem sempre acertamos, mas que damos o melhor que podemos com o que somos capazes na altura. Eu diversas vezes me questionei se estaria a fazer o melhor para os meus filhos. E se calhar houve alturas em que podia ter feito melhor. Mas; à distância, consigo perceber que no momento em que as coisas aconteceram eu não conseguia fazer melhor. Fiz o melhor que soube e pude.

Sobre mães extraordinárias muito fica por dizer, mas nunca nos esqueçamos que as nossas imperfeições podem ajudar muito os nossos filhos. Podem ajudar a eles não pensarem que têm de ser perfeitos também, a aceitarem que errar não tem nada de mal e faz parte do processo, que com os erros crescemos e, sobretudo, que mesmo com erros pelo caminho continuamos a ser extraordinários.

Continuem a ser mães extraordinárias e com filhos extraordinários e sejam felizes.

No Comments

Post A Comment